É meu!

É meu!
Pare com o roubo de conteúdo!

09 dezembro, 2006

NIKKO – Com a Tokita-san, fui um dia a Nikko, a duas horas de comboio a norte de Tóquio. A pequena cidade é famosa devido ao Toshogu, o mausoléu de Tokugawa Ieyasu (o fundador do xogunato Tokugawa) e do seu neto Iemitsu, que foi quem realmente aumentou e transformou o complexo num festival visual. O complexo alberga também o Futurasan-jinja, um santuário do ano 767. Era o local de veraneio dos xóguns e a morada dos deuses. A área que o rodeia é um Parque Nacional com belas montanhas fervilhando de vida selvagem. Na estrada que leva ao Toshogu, vêem-se dúzias dos famosos macacos de Nikko, com pêlo longo e fulvo e feições peculiares.
Antecedendo o complexo há que contemplar uma das mais graciosas construções japonesas, a Ponte Shinkyo, a Ponte Sagrada ou Ponte dos Deuses. Une, como um arco-íris rubro, as margens frondosas do turbulento Rio Daiya. Nos tempos feudais, apenas o Imperador a podia atravessar.
Os templos e santuários japoneses são de uma beleza tanto mais penetrante quanto aparentam uma simplicidade extrema. Nada neles é rebuscado ou majestoso. Mas não em Nikko. Nenhum edifício no país supera os seus em exuberância. Perante a usual subtileza da arquitectura tradicional, a profusa decoração do Toshogu (onde se encontram os restos mortais de Tokugawa Ieyasu) é um tanto desconcertante. Mas foi uma alegria ver, gravados no friso superior de um pavilhão, as figuras mundialmente famosas dos três macaquinhos: um que tapa a boca, outro que tapa os olhos, o último que tapa as orelhas, servindo para ilustrar o preceito budista “Não profiras o mal; não vejas o mal; não oiças o mal”. Estão num pavilhão cujo tecto apresenta painéis com a história de vida dos três macaquinhos.
À entrada do santuário interior de Okusha, está a figurinha do nemurineko (o Gato Adormecido), que tem mais fama do que tamanho – é Tesouro Nacional – gravada por Jingorou Hidari, o escultor de madeira mais proeminente do período Edo. Por isso, provoca uma bicha de turistas e obriga ao pagamento de um bilhete extra. O gato está enroscado sobre si, adormecido. Duas andorinhas pairam por detrás. Se o gato acordasse… Mas conseguem conviver em paz e isso expressava os desejos de Ieyasu para o país. Contudo, é o pagode de cinco andares, com varandins rubros e 36 metros de altura, elegantíssimo, a minha peça arquitectónica favorita de Nikko.

Sem comentários: