É meu!

É meu!
Pare com o roubo de conteúdo!

24 março, 2007


Os SOUTHERN ALL STARS





Quando vivi na China, tinha muitos colegas e amigos japoneses, como eu a estudar a língua do país. Surpreendia-me sempre que todos conhecessem o meu nome bem romano. E lhes parecesse agradar tanto. Um dia perguntei a razão desse facto e explicaram-me que havia uma canção japonesa que tinha como título o meu nome, escrita e cantada pela banda rock mais famosa do Japão, de quem todos eram fãs incondicionais. “São os nossos Beatles!”, acrescentaram. Ora, não conheço melhor elogio que se possa fazer a uma banda. Disseram-me que se chamavam SAS, a sigla de Southern All Stars (サザンオールスターズ, Sazan Ōru Sutāzu), e ofereceram-se para me dar a ouvir os seus discos.
O disco que me levaram chamava-se “Inamura Jane”. Comecei a escutar e fui de imediato conquistada, pois nunca ouvira nada de semelhante. Ao mesmo tempo, parecia que já ouvira tudo aquilo antes. Desde logo, a voz do vocalista não era nada que se esperasse de um japonês. Era uma voz rouca, poderosa, avinhada, uma voz de negro. O som, esse, era uma salganhada de flamenco, de Caraíbas, de pop à Beatles e à Beach Boys, de música de Okinawa e muito mais. E as letras reflectiam idêntica fusão: japonês, japonês com pronúncia inglesa, espanhol com pronúncia japonesa, francês com pronúncia japonesa.... Só sei que, a partir desse dia, entrei na onda SAS. Tiveram de me gravar todos os discos que circulavam na nossa universidade. Ouvi a canção com o meu nome e muitas outras. Os Southern All Stars, com o seu som internacional e, ao mesmo tempo, tão único, incorporavam o Japão moderno. A sua música reflectia um conhecimento extremo de várias correntes musicais, a digestão completa de todos eles e, a partir desse ponto, a criação de algo especial e verdadeiramente nipónico. Canções mais melódicas, estilo retro, rocks mais hard, rumbas e salsas e mambos e pop e muitas, muitas canções evocando o verão e o mar. Em todas elas, uma vitalidade contagiante. As capas dos CD’s também me impressionavam pelo humor e a qualidade. Tornei-me fã dos SAS, a primeira ocidental da universidade a render-se. Estávamos em 1991 e os SAS encontravam-se na crista da onda. Mas, diziam-me, eram uma banda “já antiga”.



"Inamura Jane"



Na verdade, o líder da banda, o tal da voz de negro, que se chama Kuwata Keisuke, havia formado os SAS em 1975, com seis membros, quando frequentava a Universidade Gakuin de Aoyama, depois de ter pertencido a uma outra banda chamada “Better Days”. Crescera numa cidade à beira-mar, Chigasaki, na Perfeitura de Kanagawa, conhecida pelas suas praias e o seu surf, uma área de veraneio a sudoeste de Tóquio. Para formar os SAS, Kuwata juntara-se a Sekiguchi e a Hara Yuko, a única mulher do grupo, com quem se casaria em 1982. A seguir vieram o guitarrista Omori Takashi, o baterista Matsuda Hiroshi e Nozawa Hideyuki, encarregado da percurssão.
A canção de estreia dos SAS foi “Katte no Shindobatto”, "勝手にシンドバッド, de 1978. Desde o primeiro momento, a liderança de Kuwata nunca seria contestada: ele encarregar-se-ia das palavras, da música e da voz. A sua forma peculiar de cantar, o seu carisma pessoal, a actuação em palco impressionou de imediato. Num ápice, os SAS tornaram-se populares. Um ano depois, lançavam o enorme êxito “Itoshi no Eri”, いとしのエリー, uma balada que viria a ser cantada por Ray Charles em 1989 sob o título “Ellie My Love”. Este êxito consolidou a sua reputação como banda a levar a sério. Os fãs multiplicavam-se, independentemente de sexo ou idade.

Os Southern All Stars nos anos 70: Sekiguchi, Nozawa, Omori, Matsuda, Kuwata e Hara



Os sucessos sucederam-se com “Minna no uta”, “Chako no Kaigan no Monogatari” (1982),“Namida no Kiss”(1992) , “Erotica Seven” (1993) “Anatadakeo” e “Summer Heartbreak” (1995), “Spiritual Message” (1996) e outros. O álbum duplo “Kamakura”, de 1985, vendeu mais de um milhão de cópias e é considerado um dos seus melhores trabalhos de sempre. Kuwata Keisuke foi o cantor que mais dinheiro fez nesse ano. Realizou um filme, “Inamura Jane”, uma história de amor que também se tornou um sucesso de bilheteira. Em 1986, enveredou por projectos a solo, organizando o Kuwata Band. Os outros membros do grupo seguiram-lhe o exemplo. Sempre prolífico, Kuwata alcançaria enorme êxito também como artista a solo.
Até 1996, todos os discos dos SAS eram vendidos aos milhões. O álbum “Young Love” de 1996, vendeu dois milhões de cópias. Todavia, no ano seguinte, Kuwata começou a experimentar novos sons para o grupo. Isso causou um declínio acentuado nas vendas dos finais dos anos 90. Porém, a sua primeira compilação oficial, “Umi no Yeah!!”, de 1998, vendeu mais de 3 300 000 de cópias. Até à data, é o álbum mais vendido de sempre no Japão.


Em pé: Omori, Nozawa, Kuwata. Sentados: Matsuda, Hara e Sekiguchi.



Após a tournée de 2000, Omori Takashi anunciou que se retiraria da banda, o que sucedeu em Agosto de 2001. Tanto Omori como a sua mulher eram membros bem conhecidos e influentes da Soka Gakkai, uma organização do Budismo Nichiren associada a um partido político. Existem vários rumores sobre problemas de ordem religiosa com os outros componentes do grupo, com os fãs e com os meios de comunicação.
Em 2003, a HMV Japan anunciou que os Southern All Stars eram os artistas pop japoneses nº 1, segundo uma investigação intitulada “Os 100 Artistas Pop Japoneses de Topo de Todos os Tempos.”
Em 2005, os SAS realizaram a sua maior série de concertos, cobrindo todo o Japão. Tocaram para mais de meio milhão de pessoas em 11 cidades, para lançar o seu álbum de originais “Killer Street”, que alcançou instantaneamente os tops das listas com um milhão de vendas. A banda contava com 30 anos on the road; ou seja, no seu país natal, aliam a supremacia dos Beatles à longevidade dos Stones. Nesse mesmo ano, em Junho, relançaram 44 singles num único dia. Os títulos datavam desde 1978 até “Tsunami”, o enorme êxito do ano 2000. Todos eles figuraram nas listas Oricon. “Tsunami” vendeu ao todo mais de três milhões de cópias, o que faz dele o terceiro single mais vendido no Japão. Foi galardoado com o 42º Japan Record Prize.
Recentemente, Kuwata Keisuke actuou num concerto de caridade para com as vítimas do HIV, com uma banda chamada Mr. Children. Ambos eram populares entre a juventude e o seu single “Kiseki no hoshi” teve boas vendas.
Com uma história já longa e estando provado que a maior parte das rock stars não se sente atraida pela reforma, os SAS ainda devem ter de reserva muitos trunfos na manga, isso dependendo em grande parte da vitalidade transbordante do líder Kuwata Keisuke.


Southern All Stars:




Kuwata Keisuke (nascido em Chigasaki, Kanagawa, a 26-Fev.-1956 ): vocalista, guitarra




Omori Takashi (nascido a 12-Dez-1956) : guitarra






Hara Yuko (nascida em Yokohama, Kanagawa, a 11-Dez-1956): keyboard





Matsuda Hiroshi (nascido em Miyazaki, a 4-Abr-.1956): bateria






Nozawa Hideyuki (nascido em Yokohama, Kanagawa, a 19-Out-1956): percursão





Sekiguchi Kazuyuki (nascido em Niigata, em 21-Dez.-1955 ): baixo


Discografia:




Singles-



Katte ni sindobatto
Kibun shidai de semenaide
Itoshi no Eri
Omoi sugoshi mo koi no uchi
C chou kotoba ni goyoujin
Namida no avenue
Koi suru manthly day
Inase na locomotion
Jazzman JAZZ MAN
Wasureji no rade back
Sha ra ra
Big Star Blues
Shiori no theme
Chako no kaigan monogatari
THE NIGHT CLUB
Ya Ya
BODY SPECIAL
EMANON
Tokyo Shaffulu
MISS BRAND-NEW DAY
Tarako
Bye Bye My Love U are the one
Melody
Minna no uta
Megami tachi e no joka
Sayonara Baby
Furi Furi ' 65
Manatsu no kajitsu
Neo buraboII
SHULABA-LA-BAMBA
Namida no kiss
EROTICA SEVEN
Suteki Na Birdy NO NO BIRDY
Cristmas Love
Manpi No SPOT
anata dake o Summer Heartbreak
Ai no genryou (Spirtual Message)
Taiyo Wa Tsuminayatsu


Álbuns -


Atui muna sawagi
10 numbers karatto
Taini babuls
Stereo taiyo zoku
NUDE MAN
Kirei
Ninki mono de ikou
KAMAKURA
SOUTHERN ALL STARS
Inamura jane
Yo ni manyo no hana ga sakunari
Young Love

Alguns vídeos com os Southern All Stars no YouTube:

Letra em japonês e tradução em português do êxito “Itoshi no Elli”(Amada Eli):


Pode escutar-se esta canção em http://www.veoh.com/videos/e179127HzbFanAq;jsessionid=3036068D0F2B20C6114C1D28BFF1B41E
(Ouve-se, mas não se vê, os Southern All Stars)



Nakashita koto mo aru, tsumetaku shite mo nao
Eu sei que já choraste por minha causa mas, mesmo quando sou tão frio
Yori sou kimochi ga, areba ii no sa
O que mais me importa é esta vontade de estar junto de ti.
Ore ni shite mirya korede saigo no lady
Se depender de mim, podes ter a certeza de que serás a minha última lady
Eri, my love so sweet
Eri, meu amor tão doce

Futari ga moshimo samete me wo mirya tsurenakute
Se um dia despertarmos deste sonho, com olhares sem expressão nenhuma,
Hito ni iezu omoi de dake ga tsunoreba
E os sentimentos mais secretos acumulando-se
Kotoba ni tsumaru yoo ja koi wa owari ne
E as palavras a saírem engasgadas, eu sei que a paixão estará a chegar ao fim
Eri, my love so sweet
Eri, meu amor tão doce

Waratte moto baby, mujakini on my mind
Sorri-me outra vez, baby, é inocência o que me vem à mente
Utsutte moto baby, suteki ni in your sight
Revela-me outra vez, baby, a beleza ao olhar-te
Sasoi namida no hi ga ochiru
O dia de lágrimas provocadas está a ir-se embora
Eri, my love so sweet
Eri, meu amor tão doce
Eri, my love so sweet
Eri, meu amor tão doce

Anata ga moshimo doko kano tooku e iki usete mo
Ainda que me deixes e desapareças para sempre
Ima made shite kureta koto wo wasurezu ni itai yo
Eu não quero esquecer-me de tudo o que significaste para mim
Modo kashi samo anata nya hodo yoku ii ne
Porque até os modos irritantes e impacientes são atraentes em ti
Eri, my love so sweet
Eri, meu amor tão doce
Waratte moto baby, mujakini on my mind
Sorri –me outra vez, baby, é inocência o que me vem à mente
Utsutte moto baby, suteki ni in your sight
Revela-me outra vez, baby, a beleza ao olhar-te
Mizore majiri no kokoro nara
Porque a chuva fria insiste em congelar o meu coração

Eri, my love so sweet
Eri, meu amor tão doce
Eri, my love so sweet
Eri, meu amor tão doce

Waratte moto baby, mujakini on my mind
Sorri-me outra vez, baby, é inocência o que me vem à mente
Utsutte moto baby, suteki ni in your sight
Revela-me outra vez, baby, a beleza ao olhar-te
Nakase monku no sono ato ja
Porque as minhas palavras, como sempre, acabaram por te fazer chorar

Eri, my love so sweet
Eri, meu amor tão doce
Eri, my love so sweet
Eri, meu amor tão doce
Eri my love Eri
Eri meu amor Eri